Falar com um advogado : (27) 99710-0054 / (27) 3299-0998

REGIME ESPECIAL DE FISCALIZAÇÃO (REF) E AS CONSEQUÊNCIAS PARA A EMPRESA

Saiba quais as atividades fiscalizatórias poderão ocorrer sobre a empresa durante o regime especial de fiscalização

Saiba quais as atividades fiscalizatórias poderão ocorrer sobre a empresa durante o regime especial de fiscalização

Olá, tudo bem?

Antes de tudo: você sabe o que é REF? Não? Então vamos aprender comigo

REF significa Regime Especial de Fiscalização e foi instituído originalmente pela Lei 9.430/1996, regulamentado pela Instrução Normativa 979/2009 da Receita Federal do Brasil.

O objetivo desse regime de Fiscalização é aparelhar o Fisco com instrumentos de fiscalização mais eficientes sobre as atividades econômicas do contribuintes, com o intuito de impedir a inadimplência e a sonegação fiscal.

Para que esse regime tenha início em uma determinada #empresa, o Auditor Fiscal deve solicitar sua aplicação e, após aprovado, a empresa poderá sofrer as seguintes medidas:

  1. Fiscalização ininterrupta, inclusive com presença física permanente do Auditor Fiscal
  2. Redução à metade dos períodos de apuração e dos prazos pra recolhimento dos tributos
  3. Utilização compulsória de controle eletrônico das operações realizadas e recolhimento diário dos tributos
  4. Exigência de comprovação sistemática do cumprimento das obrigações tributárias
  5. Controle especial da impressão e emissão de documentos comerciais e fiscais e da movimentação financeira.

Por previsão legal, caso ocorra infração à lei durante a realização do REF na empresa, esta ficará obrigada a pagar ainda multa de 150%, sem prejuízo de sanções criminais, administrativas e tributárias.

Para minimizar o risco de sofrer atividade fiscalizatória por parte do fisco, é extremamente importante que a contabilidade da empresa esteja sendo feita corretamente, inclusive quanto a créditos e débitos de tributos não cumulativos, como ICMS e PIS/COFINS.

Mas só a contabilidade, em grande parte das vezes, não basta. É necessário um serviço de governança tributária, inclusive com criação de comitê interno para manutenção da regularidade tributária da empresa com fundamentação nas normativas administrativas da Receita e jurisprudências pacificadas pelos Tribunais Superiores.

Espero ter ajudado com esses insights para sua empresa! Qualquer dúvida, clique aqui.

QUER SABER MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO?
Clique aqui para falar com alguém da equipe

RAMON FÁVERO
Advogado – OAB/ES 20.163
Especialista em Direito Previdenciário, Tributário, Civil e Empresarial
Telefone: (27) 99710-0054

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Enviar via WhatsApp