Ligue agora : (27) 99710-0054

SAIBA COMO FUNCIONA UM PROCESSO JUDICIAL DE AUXÍLIO-DOENÇA

Processo judicial passa por algumas fases e pode haver concessão de liminar para recebimento imediato do benefício.

Embora prestemos o serviço de acompanhamento de todo o processo administrativo de benefício previdenciário (do requerimento inicial à decisão de julgamento recursal de última instância), costumeiramente nossos clientes nos procuram quando já houve a negativa de benefício pelo INSS, nos contratando para atuar judicialmente na busca pelo restabelecimento, manutenção ou concessão do benefício negado pelo INSS (auxílio-doença, auxílio-acidente, aposentadorias, pensão por morte, LOAS/BPC, etc.)

Portanto, apresentamos abaixo um fluxograma sobre o trâmite do processo judicial, a fim de esclarecer aos nossos clientes como funciona o processo e qual o tempo médio de duração desse tipo de processo.

Desse modo conseguimos manter uma postura sempre transparente perante nossos clientes. Segue o fluxograma:

Resumidamente o processo previdenciário passa pelas 12 fases apontadas no fluxograma acima e em média cada uma demora 20 dias úteis.

O juiz, como dirigente do processo, pode fixar outros prazos para que cada um desses atos ocorram e determinar outras diligências.

Muitos clientes nos perguntam qual é o prazo em que os “atrasados” lhes serão pagos.

Para quem não sabe, “atrasados” são os benefícios vencidos desde a data de requerimento administrativo do benefício até a sua data de implantação decorrente da sentença.

Os “atrasados” deverão ser pagos no prazo de até 90 dias após o julgamento de todos os recursos (trânsito em julgado), desde que os valores sejam menores que 60 salários mínimos.

Importante dizer que, apesar de o fluxograma acima se referir a processos em que haja perícia médica (auxílio-doença, auxílio-acidente, aposentadoria por invalidez etc.), o processo tramita de igual modo para qualquer outro tipo de benefício negado pelo INSS.

Para outro tipos de benefício (aposentadoria, LOAS/BPC, pensões etc), basta eliminar a etapa de perícia médica e o prazo para impugnação ao laudo pericial.

Quero auxílio-doença!

Se você gostou deste artigo, lembre-se de curtir, compartilhar e comentar!

E se tiver alguma dúvida, basta clicar aqui e entrar em contato conosco.

Um abraço,

RAMON FÁVERO
Advogado – OAB/ES 20.163
Especialista em Direito Civil, Previdenciário, Empresarial e Tributário
Telefone: (27) 99710-0054

Comments

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Filiado à ABCONT