Ligue agora : (27) 99710-0054

INSS É CONDENADO A APOSENTAR SEGURADO COM VISÃO MONOCULAR E A INDENIZÁ-LO POR DANOS MORAIS EM RAZÃO DO CORTE DO BENEFÍCIO

JUIZ CONVERTEU AUXÍLIO-DOENÇA EM APOSENTADORIA AO SEGURADO COM VISÃO MONOCULAR OBSERVANDO QUE O SEGURADO SEMPRE TRABALHOU EM FUNÇÃO BRAÇAL E QUE EM RAZÃO DE SUA IDADE NÃO POSSUÍA MAIS VIGOR PARA CONTINUAR LABORANDO COMO PEDREIRO

INSS É CONDENADO A APOSENTAR SEGURADO COM VISÃO MONOCULAR E A INDENIZÁ-LO POR DANOS MORAIS EM RAZÃO DO CORTE DO BENEFÍCIO

O médico perito imparcial nomeado pelo juiz entendeu que o segurado estava temporariamente incapacitado para o trabalho, e que seu problema poderia ser amenizado mediante cirurgia. Com isso, ficou incontroverso no processo a incapacidade parcial do segurado.

O juiz Gustavo Moulin Ribeiro, do 3º Juizado Especial Federal da Seção Judiciária do Espírito Santo, entendeu, contudo, que o segurado fazia jus à aposentadoria por invalidez.

Tal entendimento se baseou na Súmula nº 47 da Turma Nacional de Unificação de Jurisprudência que diz que:  “Uma vez reconhecida a incapacidade parcial para o trabalho, o juiz deve analisar as condições pessoais e sociais do segurado para a concessão de aposentadoria por invalidez”.

No presente caso, o segurado sempre trabalhou em funções braçais, já possui 49 anos de idade e não havia completado seus estudos, condições essas que foram observadas pelo juiz e que o levou a entender que o segurado teria extrema dificuldade de conseguir sua recolocação no mercado de trabalho.

Assim, o juiz converteu o auxílio-doença, que havia sido deferido liminarmente no início do processo, em aposentadoria por invalidez.

Além disso, o INSS foi condenado a indenizar o segurado pelos danos morais que lhe foram causados em razão da negativa indevida do seu benefício previdenciário. O juiz quantificou a indenização em valor equivalente à metade do valor dos proventos que o segurado deixou de receber na época própria, ou seja, metade dos “valores atrasados”.

Processo nº 0003035-59.2017.4.02.5050

Quer conhecer mais sobre nosso trabalho e a excelência com que atendemos aos nossos clientes? Clique aqui e entre em contato conosco. Podemos marcar um horário para tomarmos um café e conversarmos um pouco sobre o seu caso. Teremos o maior prazer em responder aos seus questionamentos!

Um abraço,

RAMON FÁVERO
Advogado – OAB/ES 20.163
Especialista em Direito Civil, Consumidor, Empresarial e Tributário
Telefone: (27) 99710-0054

Comments

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Filiado à ABCONT